Calau-de-pescoço-ruivo retorna ao Nepal

Publicado originalmente por Sanjib Chaudhary em Global voices

Demorou quase 200 anos para estabelecer a existência do calau de pescoço avermelhado ( Aceros nipalensis ) no Nepal, visto pela última vez no país em 1829. O fotógrafo da vida selvagem Deven Kharel encontrou e fotografou um par de calaus machos de pescoço avermelhado em Sim Dhap do município de Suryodaya, no distrito de Ilam, no leste do Nepal . O naturalista Brian Hodgson descobriu esta ave no Nepal em 1829 e cunhou o nome científico Buceros nipalensis . Antes da descoberta de Kharel, essas aves foram consideradas extintas no Nepal, embora ainda fossem encontradas na Índia, Butão, China, Mianmar, Laos, Tailândia e Vietnã.

botão seguir mapeando concursos no Google News

“É uma das maiores conquistas da minha carreira na fotografia da vida selvagem”, disse Kharel ao Global Voices ao telefone do distrito de Ilam, no leste do Nepal. Ele também mencionou:

Ninguém havia fotografado esse pássaro no Nepal antes disso. Também fotografei outros pássaros pela primeira vez no Nepal, incluindo o pombo imperial verde e o pica-flor-de-dorso-escarlate .

Calau-de-pescoço-ruivo pássaro do nepal

Kharel fotografou quatro espécies de calaus encontrados no Nepal: o grande calau em Besibazar, Mechinagar no distrito de Jhapa; o calau oriental na Floresta Comunitária de Bansbari , Mechinagar, Jhapa; o calau cinza indiano em Kakarvitta, Mechinagar, Jhapa; e sua recente descoberta no município de Suryodaya de Ilam.

Calau do Nepal: (da esquerda para a direita) Calau-de-pescoço-ruivo, grande hornbill, hornbill cinza indiano e hornbill oriental, fotografado no leste do Nepal. Todas as imagens por Deven Kharel. Usado com permissão.

O analista de biodiversidade Kamal Maden escreveu no diário Nayapatrika sobre a descoberta de alguns calaus-de-pescoço-ruivo em 1850 e criticou os autores de A Guide to the Birds of Nepal por declararem a ave provavelmente extinta no Nepal. Em resposta às críticas de Maden à falta de pesquisas sobre calaus-de-pescoço-ruivo, Carol Inskipp, uma das autoras do livro, escreveu no Facebook :

Considerando a completa ausência do Calau-de-pescoço-ruivo do Nepal há quase 200 anos, o avistamento em 2021 dessa espécie globalmente ameaçada, por D. Kharel, é um registro importante, que deve ser publicado em um periódico revisado por pares com as fotografias originais. Além disso, mais pesquisas são necessárias para estabelecer se a espécie é residente no país ou apenas um visitante ocasional e da extensão do habitat adequado.

Carol Inskipp, Tim Inskipp e Dr Hem Sagar Baral

Indicador da saúde de uma floresta

Quando a descobriu, Hodgson escreveu sobre esta bela ave, em 1833:

Esta espécie notável e muito grande, que tenho a vantagem de contemplar à vontade em um espécime vivo, mede da ponta de uma asa à outra, quatro pés e cinco polegadas; e da ponta do bico até a extremidade da cauda, ​​três pés e seis polegadas, dos quais o bico é oito polegadas, e a cauda, ​​um pé e cinco polegadas.

A Nature inFocus Foundation da Índia twittou:

O usuário do Twitter Trooper (@pnkjshm) mencionou:

O calau-de-pescoço-ruivo é classificado como “ vulnerável ” pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Essas aves residentes não migratórias são monogâmicas por natureza e nidificam em buracos naturais e cavidades em árvores antigas e altas. Como eles exigem grandes extensões de florestas com grandes árvores para nidificação, sua presença indica a boa saúde de uma floresta. Eles também desempenham um papel importante na dispersão de sementes.

O usuário do Twitter GoneBirding (@Staring_Space) compartilhou:

Essas aves estão ameaçadas pela degradação e fragmentação do habitat, desmatamento e caça e captura para o comércio de animais de estimação. No entanto, conservá-los não apenas ajudará a salvar as florestas, mas também trará enormes perspectivas de turismo para o distrito de Ilam, como ocorreu em Latpanchar, uma pequena aldeia no distrito vizinho de Darjeeling , na Índia.

botão seguir mapeando concursos no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.